NOTICIAS ATUAIS E FATOS QUE FIZERAM A HISTÓRIA DO SANTOS FC

<><><><> BEM - VINDO A ESTE BLOG <><><><>


Atenção: Este Blog não tem fins lucrativos e é usado apenas como hobby


sábado, 17 de dezembro de 2016

Ídolos do Santos FC (13) - Carlos Alberto Torres


Carlos Alberto Torres nasceu no Rio de Janeiro, em 17 de julho de 1944. 
Um dos maiores laterais direitos da história, ele foi o capitão do Brasil que ganhou a Copa de 70, no México, ficando conhecido como o Capitão do Tri.

No que diz respeito aos clubes, Carlos Alberto jogou pelo Fluminense, Botafogo, Flamengo, Santos e o New York Cosmos. Ele foi o companheiro de Pelé nos últimos dois clubes.

Carioca de Vila da Penha, Carlos Alberto foi revelado pelo Fluminense, onde foi campeão Carioca de 1964 e medalha de ouro pelos Jogos Pan-Americanos de 1963 disputado em São Paulo. Logo depois se transferiria para o Santos.

Quando Carlos Alberto chegou na Vila Belmiro em 1965, o Santos atravessava o seu apogeu, com conquistas brilhantes como o bicampeonato da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes.

Muitos cronistas dizem que foi um dos maiores laterais direitos que o Brasil e o mundo viram jogar. Tinha habilidade, respeito dos companheiros e como uma de suas características principais, uma forte personalidade.

Pelo Santos foi pentacampeão paulista em 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973, ano em que conquistou seu último título pelo time da Vila Belmiro. Também foi campeão do Rio-São Paulo em 1966, brasileiro (Roberto G. Pedrosa) em 1968 e inúmeros torneios nacionais e internacionais. Participou de 445 jogos e marcou 40 gols pelo Santos.

Em 1975 foi vendido ao Fluminense, onde fez parte do time que ficou conhecido como "Máquina Tricolor", sendo bicampeão carioca em 1975 e 1976, semi-finalista dos campeonatos brasileiros destes mesmos anos, depois passando pelo Flamengo.


Carlos Alberto foi treinador de vários times no Brasil e exterior. Seu maior feito foi ser campeão Brasileiro pelo Flamengo.


Na carreira poltítica, Carlos Alberto foi Vereador de 1989 a 1993, ocupando a Vice-Presidência e a Primeira Secretaria da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. Em 2008 tentou uma vaga para vice-prefeito na cidade do Rio de Janeiro, não se elegendo.


Carlos Alberto foi casado três vezes: com Sueli, mãe dos seus filhos Andréa e Alexandre Torres, também ex jogador, com a atriz Terezinha Sodré e com Graça, sua atual esposa.

Foi escolhido ainda para integrar a seleção da América do Sul de todos os tempos. A enquete foi realizada com cronistas esportivos de todo o mundo. É considerado pela FIFA como um dos maiores e melhores laterais direitos de todos os tempos
                                              
                                            Seleção da América do Sul de "todos os tempos"
JogadorPaís
Fillol Argentina
Carlos Alberto Torres Brasil
Figueroa Chile
Daniel Passarella Argentina
Nilton Santos Brasil
Maradona Argentina
Di Stéfano Argentina
Rivelino Brasil
Didi Brasil
Garrincha Brasil
Pelé Brasil



Carlos Alberto Torres, faleceu no dia 25/10/2016, aos 72 anos, vítima de um infarto fulminante, em sua casa no Rio de Janeiro. Ele fez sua última aparição no SporTV, onde era comentarista, apenas dois dias antes de sua morte, quando participou do programa Troca de Passes.


quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Humor no futebol... Vidraça quebrada



No céu, os anjos estavam jogando uma partida de futebol, enfrentando o time do Santos FC dos Céus, quando, Ramos Delgado intercepta um ataque dos Anjos e passa a bola para Jair da Rosa Pinto, que faz um lançamento celestial para Toninho Guerreiro. Este, dá um chutaço e a bola atravessa o muro, indo pros quintos dos infernos e quebrando uma das vidraças deles.

Alguns minutos depois, um sujeito todo endiabrado toca a campainha.
— Pois não? — pergunta-lhe um anjo, abrindo a porta.
— Aqui está a bola de vocês! Fique sabendo que ela quebrou uma das nossas vidraças e nós queremos receber o prejuízo, senão, vamos processá-los.
— Bem, eu... — fez o anjo, surpreso.
Ao ver a indecisão do anjo, o capeta argumentou:
— Acho que seria melhor eu discutir diretamente com um dos seus advogados.
— Não, não é necessário, nós vamos pagar! Felizmente, aqui nós não temos advogados...







sábado, 19 de novembro de 2016

Histórias e estórias (24) - O argentino torpedeiro...

Esta foto é da mesma excursão mencionada
neste post, porém, outro jogo:  Santos 3,
Oakland Clippers 1 no Oakland Coliseum,
em 30/08/68
Caros amigos, no ano de 1968, o Santos partiu para mais uma excursão. Destino: Estados Unidos. Entre outras cidades, estava marcado um jogo para Nova York. Ao chegar à cidade, na mesma noite, a delegação do Peixe foi assistir um amistoso do seu futuro adversário, o time americano do New York General's.

Durante a partida, os jogadores do Peixe chegaram a dar boas gargalhadas ao ver a imperícia com que eles tratavam a bola, com chutão para todo lado. Foi um jogo feio e a certeza de que com aquele adversário, o esquadrão do Santos não teria problemas.

Ledo engano. O New York General's, dois dias depois (12/07/1968), no Yankee Stadium de New York, nem parecia o mesmo time. Determinado, com boa marcação e com um futebol que parecia estar escondido na antevéspera, meteu um 5 x 3 histórico em cima de Pelé e Cia.

Um dos grandes responsáveis por esse resultado desastroso para o Santos, foi um meia armador, muito ofensivo, alto, magro, bastante técnico e que possuía um canhão na perna direita. E sua pátria era a Argentina, de tantos craques. Fez dois golaços de fora da área, com impressionantes "torpedos" que Gilmar nem viu por onde passaram.

Baseado nessa exibição, o Santos FC tratou de conseguir sua contratação, certo que também no Brasil ele seria um sucesso. O argentino esteve no Alvinegro por cerca de 8 meses, porém, jamais se firmou como titular.

Saiu do Santos e se transferiu para a Juventus de Turin onde, aí sim, conseguiu mostrar seu valor como futebolista.
Após encerrar sua carreira, aquele argentino magrela se transformou num dos mais conceituados treinadores de futebol de todo mundo.

Seu nome?  César Luiz Menotti!


sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Zaluar: Levou o primeiro gol de Pelé

        
 
             Nome: Zaluar Torres Rodrigues
   Nascimento:  1926
  Falecimento:  1995  
Fato histórico:   Levou o primeiro gol de Pelé.

  Caros amigos, no ano de 1956, para comemorar mais um aniversário   da Independencia, a Prefeitura de Santo André incluiu na sua programação um jogo amistoso com os portões abertos, entre o extinto Corinthians daquela cidade e o Santos FC.
As equipes utilizaram os seguintes jogadores:


Corinthians: Antoninho (Zaluar), Bugre (Mario) e Chicão (Dati); Mendes, Zito e Tonico; Vilmar, Cica e Teleco (Odilio); Rubens e Doré. Técnico: Jaú


Santos FC: Manga, Hélvio e Ivan (Cassio); Ramiro (Fioti), Urubatão e Zito (Feijó); Alfredinho, Alvaro (Raimundinho) e Del Vecchio (Pelé); Jair e Tite. Técnico: Lula
                 
 - Nelson Cerchiari foi o representante da Liga de Santo André, e responsável para elaborar a súmula daquele jogo, realizado no dia 07 de setembro de 1956 (ver súmula a manuscrito, logo abaixo). Nelson anotava atentamente os gols e as substituições, até que em determinado momento ja no segundo tempo, alguém falou:   - O Del Vecchio vai sair!   Nelson olhou quem ia entrar e não reconheceu:
- Quem é aquele escurinho? Vai lá no banco e pergunta!
Após a verificação, Nelson obteve a seguinte resposta:
- Joga no juvenil. O nome do guri é Pelé.
Súmula do jogo entre Santos e Corinthians 
de Santo André
O Santos venceu o jogo por 7 a 1 com Pelé marcando seu primeiro gol como profissional, aos 34 minutos do segundo tempo, quando o goleiro titular ja havia sido substituido por Zaluar.

O goleiro Zaluar, por ocasião do jogo com o Santos estava com 30 anos (na foto acima ele estava com 46) e sentia que sua carreira estava chegando ao fim.

Chegou a jogar nas seleções sergipana e baiana e perambulou por vários clubes sem se destacar em nenhum. Em 1972, Zaluar em entrevista, descreveu o lance do gol do Pelé, da seguinte maneira:   -Eu tinha condições de defender aquela bola. Quando o Jair lançou o guri, gritei para o Mario (zagueiro) fazer a cobertura. Ele levou um chapéu e num segundo o Pelé estava diante de mim. Poderia ter entrado duro mas não tive coragem ao ver aquelas canelas finas do garoto. Pelé balançou o corpo para a direita e depois para a esquerda e quando eu dei por mim, ele já tinha tocado a bola no meio de minhas pernas!

Era o sexto gol do Santos. Ninguem abraçou Pelé, que apanhou a bola dentro da meta e a levou debaixo do braço para o grande circulo.

Inicialmente Zaluar ficou chateado por levar o gol por meio das pernas, porem com o tempo e com a fama do Pelé,  ficou orgulhoso com o ocorrido e até seus últimos dias, distribuia seus cartões de visita destacando o fato de ter levado o primeiro gol do Rei.
Mesmo após encerrar a carreira como
goleiro, Zaluar usava nas peladas, a
camisa com dizeres alusivos ao
primeiro gol de Pelé

Este era o cartão de apresentação que Zaluar
usou até seus últimos dias

Este senhor que tinha 83 anos quando foi tirada
 esta foto em 2011, é Nelson Cerchiari, o representante
daquela partida e que preencheu a súmula do jogo. Torcedor
do Santo André, ele está com a faixa de campeão da
 Copa do Brasil de 2004.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Curiosidades sobre futebol (9)

Como é o grito de "GOL" em diversas partes do mundo:


Caros amigos, o nosso famoso grito de GOL é usado da mesma maneira que nós brasileiros, na Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, Espanha, Honduras, Hungria, Itália, Iugoslávia, México, Panamá, Peru, Romênia, Uruguai e Venezuela.

Em Portugal diz-se GOLO. 

GOAL, é gritado na Austrália, Bangladesh, Bélgica, Bulgária, Camarðes, Canadá, Chipre, Coréia do Sul, Eire, Egito, Estados Unidos, Finlândia, Gana, Gró-Bretanha, Grécia, Holanda, Iró, Islândia, Israel, Líbia, Luxemburgo, Nova Zelândia, Polônia, Senegal, Suíça, Tchecoslováquia, Turquia e União Soviética.

BUT, é na Argélia, França, Gabão, Mali, Mônaco e Tunísia, e pronuncia-se BI.

Na Alemanha e na Áustria diz-se TOR, na Noruega e na Suécia é MAL, e, finalmente, na Dinamarca GOL é MALL, sendo pronunciado, MOL.




Humor no futebol... Nome Impróprio!





Histórias e estórias (14): Um safári pela Mama África

  21 jogos e só uma derrota


A primeira vez que o Peixe pisou no continente africano foi em 19/06/1960, para um amistoso contra o Español de Barcelona, no Marrocos. O jogo terminou empatado em 2 a 2. Daí para frente foram 21 jogos (12 deles contra seleções nacionais africanas) e apenas uma derrota.

O último jogo na África foi contra Camarões, em 1983, com vitória do Santos por 2 x 1.
No ano anterior, os Leões Indomáveis haviam surpreendido na Copa do Mundo da Espanha. Naquela ocasião, embora não tenham passado da primeira fase no grupo 1 (que foi o mais difícil daquele mundial), voltaram para casa invictos.
Já são 33 anos sem o Peixe jogar no continente Africano!






segunda-feira, 9 de maio de 2016

Campeonato Paulista: Quantidade de títulos por Clubes


Caros amigos, com a conquista do Santos, agora em 2016, o Peixe se iguala ao Palmeiras e fica a apenas cinco títulos do Corinthians, na quantidade de vezes em que foram Campeão Paulista.


Algumas observações merecem ser citadas, como por exemplo, o campeonato de 1931, que foi vencido pelo "São Paulo da Floresta". Este time, fechou suas portas em 1935 e, após um breve período de inatividade, foi refundado em dezembro daquele mesmo ano,  mantendo o nome que ostenta até hoje. Por estas razões, o título daquele ano, é reconhecido como sendo um título do atual São Paulo Futebol Clube.

Por outro lado, o São Paulo não é considerado Campeão Paulista de 2002, mesmo tendo vencido o Super campeonato daquele ano. O Ituano é o time reconhecido como legítimo e único campeão.

O Paulistano, foi o único time que conseguiu ser tetracampeão paulista da história, porém, ainda na era do amadorismo: 1916 / 17 / 18 / 19. O Club Athletico Paulistano, foi fundado em 29 de dezembro de 1900, e conta hoje com times de diversas modalidades esportivas amadoras. Fechou seu departamento de futebol em 1929.

Apresentamos abaixo, um resumo de quantos títulos do Paulistão cada time conquistou, já atualizado com o de 2016. Confira:



                                    Time              Cidade          Qtde. Títulos
Corinthians              (São Paulo)                       28

 Santos                         (Santos)                        22 

Palmeiras                   (São Paulo)                     22

São Paulo                  (São Paulo)                     21

Paulistano                  (São Paulo)                    11

São Paulo Athletic     (São Paulo)                       4

Portuguesa                (São Paulo)                       3

A.A. das Palmeiras    (São Paulo)                       3

S.C. Americano         (São Paulo)                       2

Germânia                   (São Paulo)                       2

S.C. Internacional      (São Paulo)                       2

A.A. São Bento         (São Paulo)                       2

Ituano                        (Itu)                                  2

Inter de Limeira          (Limeira)                           1

Bragantino                 (Bragança Paulista)            1

São Caetano             (São Caetano do Sul)        1

Estádios onde o Santos sagrou-se campeão de todos os títulos oficiais


Caros amigos, mostramos a vocês neste post, todos os estádios onde o Santos levantou as taças de campeão de todos os títulos oficiais, incluindo já, o Paulista de 2016.  Confira:

Na Vila Belmiro:
Paulista de 1955 – Santos 2 x 1 Taubaté - Pontos Corridos
Paulista de 1960 – Santos 2 x 1 Palmeiras - Pontos Corridos
Taça Brasil de 1961 – Santos 5 x 1 Bahia - Final
Paulista de 1961 – Santos 6 x 1 Ferroviária - Pontos Corridos
Paulista de 1964 – Santos 3 x 2 Portuguesa - Pontos Corridos
Paulista de 1965 – Santos 4 x 0 Juventus - Pontos Corridos
Paulista de 2006 – Santos 2 x 0 Portuguesa - Pontos Corridos
Paulista de 2011 – Santos 2 x 1 Corinthians - Final
Paulista de 2015 - Santos 2 x 1 Palmeiras - Final
Paulista de 2016 - Santos 1 x 0 Audax - Final

No Maracanã:
Taça Brasil de 1962 – Santos 5 x 0 Botafogo - Final
Rio-São Paulo de 1963 – Santos 3 x 0 Flamengo - Pontos Corridos
Mundial de 1963 – Santos 1 x 0 Milan - Final
Rio-São Paulo de 1964 – Santos 2 x 3 Botafogo - Jogo Desempate
Taça Brasil de 1964 – Santos 0 x 0 Flamengo - Final
Taça Brasil de 1965 – Santos 1 x 0 Vasco - Final
Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1968 - Santos 2 x 1 Vasco - Pontos Corridos
Rio-São Paulo de 1997 – Santos 2 x 2 Flamengo - Final

No Pacaembu:
Paulista de 1956 – Santos 4 x 2 São Paulo - Jogo Desempate
Rio-São Paulo de 1959 – Santos 3 x 0 Vasco - Pontos Corridos
Paulista de 1962 – Santos 5 x 2 São Paulo - Pontos Corridos
Rio-São Paulo 1966 – Santos 0 x 0 Corinthians - Pontos Corridos
Paulista de 1967 – Santos 2 x 1 São Paulo - Jogo Desempate
Paulista de 2010 – Santos 2 x 3 Santo André - Final
Taça Libertadores de 2011 – Santos 2 x 1 Peñarol - Final
Recopa Sul Americana 2012 - Santos 2 x 1 Universidad de Chile

No Morumbi:
Paulista de 1969 – Santos 0 x 0 São Paulo - Pontos Corridos
Paulista de 1973 – Santos 0 x 0 Portuguesa - Final
Paulista de 1978 – Santos 0 x 2 São Paulo - Final
Paulista de 1984 – Santos 1 x 0 Corinthians - Pontos Corridos
Brasileiro de 2002 – Santos 3 x 2 Corinthians - Final
Paulista de 2007 – Santos 2 x 0 São Caetano - Final
Paulista de 2012 – Santos 4 x 2 Guarani – Final

Estádio Alfredo Schüring (Parque São Jorge):
Paulista de 1935 – Santos 2 x 0 Corinthians - Pontos Corridos

Estádio Brinco de Ouro da Princesa (Campinas):
Paulista de 1958 – Santos 7 x 1 Guarani - Pontos Corridos

Estádio da Luz (Lisboa - Portugal):
Mundial de 1962 – Santos 5 x 2 Benfica - Final

Estádio Monumental de Nuñez (Buenos Aires - Argentina):
Taça Libertadores de 1962 – Santos 3 x 0 Peñarol - Final

Estádio La Bombonera (Buenos Aires - Argentina):
Taça Libertadores de 1963 – Santos 2 x 1 Boca Juniors - Final

Estádio da Fonte Nova (Salvador):
Taça Brasil de 1963 – Santos 2 x 0 Bahia - Final

Estadio Centenário de Montevidéu (Uruguai):
Recopa Sul-Americana de 1968 – Santos 0 x 3 Peñarol - Pontos Corridos

Estádio Parque Antártica:
Paulista de 1968 – Santos 3 x 1 Palmeiras - Pontos Corridos

Estadio San Siro (Milão - Italia):
Recopa Mundial de 1968 – Santos 1 x 0 Internazionale - Final

Estádio Gigante de Arroyito (Rosário - Argentina):
Copa Conmebol de 1998 – Santos 0 x 0 Rosário Central - Final

Estádio Benedito Teixeira (São José do Rio Preto):
Brasileiro de 2004 – Santos 2 x 1 Vasco - Pontos Corridos

Estádio Manoel Barradas, o Barradão (Salvador):
Copa do Brasil de 2010 – Santos 1 x 2 Vitória – Final

O Santos conquistou seus títulos oficiais (não estão incluídos torneios não oficiais) em 16 estádios diferentes: Vila Belmiro (10), Maracanã (8), Pacaembu (8), Morumbi (7), Estádio da Luz, San Siro, Gigante de Arroyito, Centenário de Montevidéu, Monumental de Nuñez, La Bombonera, Fonte Nova, Barradão, Teixeirão, Parque São Jorge, Brinco de Ouro e Parque Antártica.

Em 2 continentes: América do Sul (42) e Europa (2)
Em 5 países: Brasil (38), Argentina (3), Uruguai (1), Portugal (1) e Itália (1)
Em 3 estados: São Paulo (28) , Rio de Janeiro (8) e Bahia (2)
Em 11 cidades: São Paulo (17), Rio de Janeiro (8), Santos (10), Salvador (2), Buenos Aires (2), São José do Rio Preto, Campinas, Rosário, Montevidéu, Lisboa e Milão (1)

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Domício Pinheiro: O fotógrafo oficial do Rei


Linda foto de Domício Pinheiro, com
sua câmera, a camisa 10  e socando o 
ar, imitando o Rei!
Agradecimentos especiais a Vinicius 
Pinheiro (neto de Domício Pinheiro) 
que nos enviou esta foto!


Caros amigos, reza a lenda que onde ele estava com sua câmera, algo importante acontecia. E sempre, ele estava atento para registrar.
Era como se o instante a ser eternizado pedisse para que ele o fotografasse. “Ele” no caso, era Domício Pinheiro.

Nascido em 1921, trabalhou na Folha Carioca, no jornal Última Hora e no Grupo Estado. Nos mais de cinqüenta anos de carreira ficou conhecido como o fotógrafo de Pelé, por ter acompanhado e registrado toda a carreira do Rei.

Domício faleceu em 1998, quatro anos após abandonar o trabalho de fotógrafo. O arquivo fotográfico dele é conservado pela Agência Estado de São Paulo. Grande parte das fotografias que fez de Pelé está no livro “Era Pelé”, de 1984, com 386 páginas.


                   













Nesta foto, Pelé acompanha o Hino Nacional Brasileiro, executado pela Corporação Musical do estado do Rio de Janeiro, antes de um jogo amistoso com a Seleção do Paraguai, no estádio do Maracanã. Atrás da cabeça de Pelé aparece o contorno da tuba da Corporação Musical. A foto foi denominada de: "Pelé, o santo"                                                                 



Esta foto é de 1974, por ocasião de um jogo entre o São Paulo e o América de S. J. do Rio Preto e registra o exato momento, em que num choque com o zagueiro Baldini do América, o centroavante Mirandinha do São Paulo teve fraturas na tíbia e no perônio.


Trincheira é o nome desta foto e era a preferida de Domício Pinheiro. Nela, Djalma Santos, Djalma Dias e Procópio, com a camisa do Palmeiras no Parque Antarctica em 1965, realizam um sincronizado passo de balé. Os três param, esquecem a bola e olham para o mesmo ponto, certamente para a arbitragem que deve ter apontado alguma irregularidade no lance. Observe as pernas, braços, tórax e cabeça dos três, todos na mesma posição!


Pelé na Copa do Mundo no México em 1970
Domício Pinheiro em cima do alambrado,
 demonstrando sua ousadia para conseguir 
um melhor ângulo para suas fotos.

Click rápido no momento exato. 

A silhueta do Rei. Obra prima de
Domício Pinheiro
E a posição de Jânio Quadros?
Só mesmo um craque da
fotografia para eternizar um
momento como esse.  
 







                                                   













Curiosidades sobre futebol (12) - Datas históricas



1- Em 1970 os juízes começaram a mostrar cartões amarelo e vermelho. Os cartões foram introduzidos pela Fifa na Copa do Mundo daquele ano, para facilitar o trabalho dos árbitros em partidas internacionais.

2- Em 1950 passaram a ser usados números nas camisetas pela primeira vez.

3- A primeira partida de futebol televisionada em cores no Brasil, foi entre dois times gaúchos, Caxias do Sul e Grêmio, em 19 de fevereiro de 1972, em Porto Alegre.


4- Os travessões passaram a fazer parte do campo de futebol em 1875, para substituir as fitas de tecido que uniam duas traves laterais, e só 15 anos mais tarde foram colocadas as redes nos travessões.

5- Em 1929, o Vasco foi o primeiro clube a implantar o uso de luvas nos goleiros. Elas eram de borracha, pretas por fora e vermelhas por dentro.

6- Em 1895 foi disputada a primeira partida de futebol no Brasil, entre Companhia de Gás e São Paulo Railway, em São Paulo.

Charles Miller - O primeiro artilheiro do Campeonato Paulista





Caros amigos, na foto ao lado, Charles William Miller ainda bem jovem, que além de trazer o futebol para o Brasil, foi o primeiro artilheiro do Campeonato Paulista em 1902, jogando pelo extinto São Paulo Athletic Club, marcando nesta ocasião, 10 gols.

 Filho de um escocês e uma brasileira de origem inglesa, Charles Miller, nasceu  no bairro paulistano do Brás em 24/11/1874 e  viajou para Hampshire, na Inglaterra, aos nove anos de idade para estudar. Lá aprendeu a jogar futebol, rugby e críquete.







Charles Miller retornou ao Brasil em 1894 para trabalhar na São Paulo Railway Company (companhia inglesa de ferrovias), tornando-se também correspondente da Coroa Britânica e vice-cônsul inglês em 1904.

Charles Miller foi fundamental na montagem do time do São Paulo Athletic Club e a Liga Paulista de Futebol, a primeira liga de futebol no Brasil. Com ele como artilheiro, o SPAC ganhou os três primeiros campeonatos em 1902 de 1903 e 1904. Jogou no clube até 1910, quando encerrou a carreira. Depois disso, o pai do futebol brasileiro ainda atuou como árbitro. Faleceu em 30/06/1953, na capital Paulista.